Jardim Felicidade

A origem do Conjunto Felicidade está ligada a um movimento liderado por Padre Pigi iniciado em 1983, com o objetivo principal de conseguir casa própria para as famílias carentes moradoras de aluguel. Tal movimento lutava pelas famílias dos bairros 1º de Maio, Lagoa, São Bernardo, Floramar e Aarão Reis. Em 09/03/1986 padre Pigi fundou a AMABEL (Associação dos Moradores de Aluguel de Belo Horizonte) para organizar os moradores de aluguel de tais bairros. Depois de várias tentativas de negociação com a Prefeitura e com o Estado de Minas Gerais, a AMABEL conquistou seus lotes através da aprovação federal do então ministro de planejamento, Sr. Aníbal Teixeira, que repassou a verba para a PBH. O próprio movimento realizou uma pesquisa, indicando a antiga fazenda Tamboril (atual Conjunto Felicidade) para a desapropriação e em 1985 foi iniciada a construção das primeiras 800 casas. Desde o início, a presença de duas profissionais de saúde (Rosa Brambilla e Nicoletta) que trabalhavam na comunidade, foi fundamental para responder às necessidades primárias das pessoas, como educação, saúde e alimentação.

Em 1986 através da AVSI foi possível responder a urgência de cuidados da população, através da construção de um posto de saúde. O posto era pequeno e simples, mas era um local de acolhida e atenção ao ser humano, onde eram oferecidos serviços de pediatria, ginecologia e obstetrícia. Na medida em que se estabeleceu um relacionamento com as famílias do Conjunto, percebeu-se a necessidade de uma escola infantil para a comunidade, para favorecer, sobretudo, as mães que trabalhavam para o sustento dos filhos, oferecendo uma “morada” bela e segura para as crianças. Devido a grande demanda de mães solteiras, que precisavam encontrar um lugar para seus filhos pequenos, foi construído em 1990 o centro de educação infantil Jardim Felicidade, que tinha a capacidade para 130 crianças de 0 a 6 anos. A Obra se tornou uma realidade para o bairro, uma referência para a comunidade e um exemplo de um trabalho diferenciado que privilegia acima de tudo a família.

Atualmente são atendidas 110 crianças entre 0 a 6 anos.

Voltar ao topo


Educação Infantil

Berçário: Ao deixar a sua casa, o colo de sua mãe, a criança necessita encontrar no berçário da creche, pessoas que a acolham, que a abracem e que olhem para ela tentando responder às suas necessidades. Isto transmite para a criança, a segurança que ela necessita enquanto espera pela mãe.

Maternal, 1º, 2º e 3º períodos: Assim como no berçário, as crianças nestes estágios também recebem os cuidados indispensáveis ao seu desenvolvimento emocional e intelectual: são acolhidas, abraçadas e observadas. Além de todo cuidado, as professoras organizam e enfeitam as salas, para que desde pequenas as crianças possam ter o contato com o belo e o lúdico

Voltar ao topo


Centro Sociocultural Alvorada

O Centro Sociocultural Alvorada surgiu em decorrência da necessidade de se dar continuidade ao percurso iniciado nas Obras Educativas Jardim Felicidade. Nossa intenção principal é propiciar às crianças e aos jovens um acompanhamento cotidiano, visando ao desenvolvimento integral da sua personalidade, através da formação pessoal e profissional que conseqüentemente resultará na formação de adultos capazes de exercem seu protagonismo na sociedade.

Atendemos hoje 180 adolescentes de 6 a 15 anos, oferecendo reforço escolar, curso de teatro, música, informática, artesanato em madeira, assistência odontológica e atividades recreativas. Ainda como extensão, o Centro Alvorada atende mais 120 adolescentes de 15 a 17 anos e 11 meses que são acompanhados e encaminhados para o trabalho através do Projeto Jovem Aprendiz.

 

 

 

 


Atualmente são atendidas 198 crianças entre 6 a 15 anos.

Podemos resumir assim nosso trabalho:

  • • Promoção de encontros e de reuniões de orientação dos adolescentes por profissionais;
  • • Orientação ao conhecimento e utilização de serviços sociais públicos;
  • • Tentativa de constituição de uma rede solidária entre empresas e pessoas físicas para doações;
  • • Organização e oferecimento de cursos de qualificação profissional, para atendimento a adolescentes e jovens;
  • • Acompanhamento dos jovens já formados no ensino médio ou cursando a 3ª série visando à integração ao mercado de trabalho;
  • • Tentativa de estabelecimento de contatos com empresas para encaminhamento destes jovens ao mercado de trabalho;
  • • Desenvolvimento de oficinas sócio pedagógicas e atividades recreativas ou esportivas;

Acompanhamento regular das famílias.

Voltar ao topo


Aprendiz Alvorada

Histórico:
Uma exigência legal, o programa busca educar os adolescentes a viverem o trabalho como lugar de expressão da própria pessoa e como lugar de liberdade. Nos seus mais de dez anos de existência o programa já inseriu aproximadamente 650 jovens no mercado de trabalho através da Lei de Aprendizagem.

Missão:
Oferecer uma experiência de formação profissional e inserção no mercado formal de trabalho a adolescentes em situação de risco social, cultural e educativo.

 

 

Objetivos:

  • Proporcionar encontro com pessoas vivas para quem o trabalhado é vivido como lugar de libertação e não de escravidão;
  • Suscitar protagonistas para que não sejam indiferentes à realidade;
  • Ser companhia oferecendo uma amizade que abraça toda a vida.

Voltar ao topo